Arquivo da categoria: vegetarianismo

Especismo (palestra)

Especismo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Especismo é a atribuição de valores ou direitos diferentes a seres dependendo da sua afiliação a determinada espécie. O termo foi cunhado e é usado principalmente por defensores dos direitos animais para se referir à discriminação que envolve atribuir a animais sencientes diferentes valores e direitos baseados na sua espécie, nomeadamente quanto ao direito de propriedade ou posse.

O especista acredita que, a vida de um membro da espécie humana, pelo simples fato do indivíduo pertencer à espécie humana, tem mais peso, mais importância do que a vida de qualquer outro ser. Os fatores biológicos que, determinam a linha divisória de nossa espécie teriam um valor moral – nossa vida valeria “mais” que, a de qualquer outra espécie.


De modo similar ao sexismo e ao racismo, a discriminação especista pressupõe que os interesses de um indivíduo são de menor importância pelo mero feito de se pertencer a uma determinada espécie. De acordo com a igual consideração de interesses,[1] de qualquer que seja a espécie os interesses semelhantes devem ser respeitados. Inferir dor num animal sem se preocupar com isso, é ignorar o princípio básico da igualdade, que parte da premissa da igual consideração de interesses.

O Veneno Está na Mesa (doc)

Documentário de Silvio Tendler denuncia os altos níveis de agrotóxicos usados no país e os riscos dessa utilização para a saúde humana e ambiental.
  •  No último dia 25 de julho, foi lançado no Rio de Janeiro o documentário “O Veneno está na Mesa”, de Silvio Tendler. Em cerca de 60 minutos, o filme mostra como o país facilita o consumo dos agrotóxicos e como movimentos sociais e setores do próprio governo como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) têm tentado, de formas distintas, alertar sobre o problema. Com entrevistas de trabalhadores rurais, pesquisadores da área da saúde e diversos dados e informações inéditas, o documentário denuncia casos de contaminação pelo uso de agrotóxicos, inclusive com a morte de um trabalhador, e mostra como é possível estabelecer outro modelo de produção sem o uso de venenos, baseado na agroecologia. Em estreia lotada, com a presença de mais de 700 pessoas, Silvio Tendler pede que o filme circule por todo o país. Como as cópias não serão vendidas, ele autoriza as pessoas a reproduzirem o documentário para que o sinal de alerta chegue a todos os cantos do país e anuncia que em breve o filme também estará disponível na internet.
Assista! 
( por favor divulgue )

Por uma agricultura sem agrotóxicos: ‘O veneno está na mesa’, entrevista com Silvio Tendler.
Publicado em agosto 1, 2011


O filme foi construído em constante diálogo com movimentos sociais. Essa experiência foi diferente dos outros filmes?

Do ponto de vista da produção é o primeiro trabalho junto com os movimentos sociais, mas do ponto de vista da difusão, não. Meus filmes sempre estiveram vinculados aos movimentos sociais – eu filmei a inauguração da Escola Nacional Florestan Fernandes [Enff/MST], projetei meus filmes lá. Eu circulo por esse país apresentando os filmes aos movimentos sociais, então, sempre tive essa vinculação. A produção de um trabalho em conjunto, que para mim é uma coisa muito honrosa, é a primeira vez. E eu acho até que é o resultado natural do processo. Depois de fazer tantas coisas juntos, é normal que a gente pense em fazer um filme juntos. No caso do filme sobre os agrotóxicos, acho que foi um casamento natural que ‘juntou a fome com a vontade de comer’. Há uns dois anos eu estive no Uruguai e conversei com o [escritor] Eduardo Galeano, aí ele me falou que o Brasil é o país que mais usava agrotóxicos. Ele disse isso com uma certa tristeza por ser o Brasil, e, sobretudo, pelas circunstâncias políticas que nós vivemos. Aí eu voltei para o Brasil com a ideia de fazer alguma coisa sobre os agrotóxicos. Pensei em fazer uns spots para colocar no Youtube, conversei sobre isso com o [João Pedro] Stedile [coordenador nacional do MST] e ele deu força, então começamos a conversar. Um dia ele falou: ‘Olha, está surgindo um movimento muito forte contra os agrotóxicos e eu acho que dá para juntar com aquela sua ideia do filme’. Desse casamento, nasceu ‘O veneno está na mesa’.

 
A expectativa que você tinha antes de ir a campo realizar as filmagens e entrevistas se confirmou durante o processo?

O documentário sempre supera as expectativas. Sempre a realidade é mais forte do que a ficção. Eu sou documentarista por isso, porque acho que a realidade é muito forte. Em primeiro lugar pudemos ver que o veneno contido nos agrotóxicos não é um fato teórico, é uma realidade muito dura e muito difícil, mais dramática do que eu imaginava. E segundo que o trabalho e a luta das pessoas que reagem e enfrentam também é muito difícil, então, nesse sentido, é um filme mais completo do que o meu imaginário e muito mais forte. Eu estou muito feliz por estar fazendo esse filme.

Quanto tempo durou o processo de filmagem?

Uns seis meses. Começamos no final do ano passado. Fizemos com muito pouco recurso, é um filme muito barato para o que ele é. Fizemos filmagens em Porto Alegre, Ceará, Espírito Santo, envolvemos muita gente, fizemos tudo com muito carinho, com a maior qualidade. Temos três grandes atores narrando o filme – Julia Lemmertz, Caco Ciocler e Dira Paes – além de um diretor de teatro que é um ícone para essa garotada, que é o Amir Haddad. Então, temos um produto com um baita acabamento e muito pouca grana. Muito mais barato do que essa campanha que está no ar hoje de defesa do agrotóxico [a campanha Sou Agro]. A diferença é que fizemos com paixão e com carinho, e não com grana.

Diante dessa forte propaganda do agronegócio em defesa do modelo de produção que utiliza agrotóxicos, o que você espera da difusão do filme?

Eu espero esse entusiasmo da juventude, da militância. Na verdade, esse é um filme que de uma outra forma eficaz combate a pirataria, porque na verdade as cópias serão dadas e não vendidas, então, ninguém vai comprar. O filme segue com o selo “copie e distribua”, e eu espero que essa forma de a gente trabalhar funcione, por exemplo, como a eficácia de um blog na internet, pelo qual as pessoas se informam. Esse filme, de uma certa maneira, é um blog em forma de DVD, que será distribuído, vai circular, as pessoas vão assistir e vão criar um movimento de consciência de que realmente o agrotóxico é uma coisa muito ruim para todo mundo. A mensagem é que nós podemos construir uma agricultura sem agrotóxicos. Que, a partir do momento em que a sociedade se organiza e se mobiliza, nós podemos começar a pensar na vida sem agrotóxico, pensar num outro projeto de vida que a gente quer fazer. E essa mudança em relação aos agrotóxicos pode funcionar daqui para frente em relação a tudo o que queremos da vida.

 
Entrevista concedida a Raquel Júnia – EPSJV/Fiocruz. Fotos: Raquel Torres – EPSJV/Fiocruz

O Futuro Dos Alimentos – The Future Of Food (doc)

O filme expõe as alternativas à agricultura industrial de larga escala, apresentando a agricultura orgânica e sustentável como soluções reais à crise agrícola que se vive atualmente.
Está ocorrendo uma revolução nos campos de cultivo e nas mesas de jantar da América, uma revolução que está transformando a própria natureza dos alimentos que comemos. “O Futuro dos Alimentos” oferece uma investigação aprofundada à verdade perturbadora que se encontra por trás dos alimentos geneticamente modificados, patenteados e não rotulados, que, de forma silenciosa, têm enchido as prateleiras das lojas dos Estados Unidos durante os últimos 10 anos. Das planícies de Saskatchewan, no Canadá aos campos de Oaxaca, no México, este filme dá voz aos agricultores cujas vidas e sustento têm sido prejudicados por esta nova tecnologia. As implicações para a saúde, as políticas governamentais e a globalização são razões para alarme por parte de muitas pessoas, devido à introdução de colheitas geneticamente alteradas no nosso sistema de distribuição de alimentos. Filmado nos Estados Unidos, no Canadá e no México, “O Futuro dos Alimentos” examina a complexa teia das forças políticas e de mercado que estão anterando aquilo que comemos, enquanto grandes empresas multinacionais procuram controlar o sistema alimentar do planeta. 

Assista!

Receitas lacto-vegetarianas

Pare de alimentar isso


Você consegue, não aceite mais suas desculpas convenientes.
Indústria da carne apodrece nossos valores humanos.
Caia em si, mas apenas com a prática, se dê ao menos uma semana no processo de não comer carne.
O que ensina, é a sebedoria que só vem, por intermédio de uma expêriencia vivída!

Este livro é fantástico, introduz aos preceitos filosóficos de grandes sábios, como Platão, tolstoy, Jaques Russeau, thoreau, Da Vinci, Benjamim Franklin, Pitágoras, Einstein, Gandhi dismistifica o porque não é divulgado seus amplos benefícios ao mundo e a saúde humana.

Baixe

Produzido pelos ensinamentos de um homem santo do sec. XX, um  senhor exemplar.
Agradeçamos está jóia de conhecimento ao senhor Prabhupada.

Terráqueos – Earthlings ( doc )


“Se todos os criadouros do mundo fossem de paredes de vidro, seríamos todos vegetarianos.”

TERRÁQUEOS (Earthlings) é um filme-documentário sobre a absoluta dependência da humanidade em relação aos animais (para estimação, alimentação, vestuário, diversão e desenvolvimento científico), mas também ilustra nosso completo desrespeito para com os assim chamados “provedores não-humanos”. Este filme é narrado por Joaquin Phoenix (GLADIADOR) e possui trilha sonora composta pelo artista Moby. Com um profundo estudo dentro das pet-shops, criatórios de filhotes e abrigos de animais, bem como em fazendas industriais, no comércio de couro e peles, indústria de esporte e entreterimento, e finalmente na carreira médica e científica, TERRÁQUEOS usa câmeras escondidas e filmagens inéditas para narrar as práticas diárias de algumas das maiores indústrias do mundo, as quais dependem de animais para lucrar. Impactante, informativo e provocando reflexões, TERRÁQUEOS é de longe o mais completo documentário jamais produzido sobre a conexão entre natureza, animais, e interesses econômicos. Há vários filmes importantes sobre os direitos dos animais, mas este supera os demais.

(EUA, 2005, 95min. Direção: Shaun Monson)
Terráqueos – Earthlings (2005)


ou

Sete energéticos naturais



por Redação EcoD

Se você se sente cansado e sem disposição ao longo do dia ou é daqueles que só começa a produzir se tomar uma dose generosa de café, atenção! A nutricionista e doutora em medicina natural, Michelle Schoffro Cook, alerta que o excesso de cafeína pode trazer riscos à saúde, e lista outras sete opções naturais para garantir energia e saúde durante todo o dia.
De acordo com a especialista, apelar para o café pode causar dependência, variações dos níveis de açúcar no sangue e destruição da glândula adrenal – o que o torna mais vulnerável ao estresse. Veja abaixo algumas alternativas mais saudáveis para se manter cheio de disposição.


1. Pólen de abelha
De acordo com Michelle, o pólen é apresentado como uma fonte de juventude por muitos livros antigos, incluindo o Talmud, a Bíblia, o Alcorão, e pergaminhos do antigo Oriente, Grécia, Roma, Rússia e Oriente Médio. “Atletas da Antiga Grécia comiam pólen de abelha regularmente para aumentar sua força e vitalidade”, diz. Para completar, a nutricionista informa que descobertas científicas recentes apontam que a substância tem propriedades anticancerígenas.
Ainda segundo Michelle, o pólen de abelha possui 22 aminoácidos, antibióticos naturais, DNA e RNA (código genético) das plantas, 18 enzimas (que auxiliam na digestão e em outras funções corporais), glicosídeos (fontes naturais de energia no corpo), hormônios vegetais, 27 minerais e pelo menos 16 vitaminas. Portanto, não é nenhuma surpresa que essa substância aumente a energia e vitalidade. A única contraindicação é para quem sofre com alergias ao pólen ou a abelhas.

2. Geleia real
A geleia real é o resultado natural da combinação do mel com o pólen. De acordo com a especialista, esta é uma mistura poderosa de vitaminas do complexo B. A geleia também contém vitaminas, minerais, hormônios, enzimas, 18 aminoácidos e substâncias antibacterianas e antibióticas.
Ela tem sido tradicionalmente utilizada para tratar a asma, pancreatite, doença hepática, insônia, úlceras estomacais, doença renal, fraturas ósseas, problemas imunológicos e doenças de pele. Para completar, a geleia real também é eficaz para aumentar a energia, garante Michelle.

3. Ginseng siberiano
Como o nome sugere, o ginseng siberiano tem origem na Sibéria, mas cresce também no Japão, China e Coreia e em partes do Canadá. “Ele tem sido usado medicinalmente há pelo menos dois mil anos”, diz Michelle. O ginseng siberiano é apenas um de uma série de ervas adaptogênicas, o que significa que ele trabalha para normalizar as funções corporais. A substância inibe a resposta adrenal ao estresse e funciona como um estimulante do sistema imunológico, especialmente para combater os efeitos do estresse e da depressão. Ela ainda ajuda a desintoxicar o fígado, incluindo os agentes quimioterápicos e a radiação.
“O ginseng siberiano também estimula a atividade de vários componentes do sistema imunológico, sendo excelente para a Síndrome de Fadiga Crônica e outras infecções virais”, diz. De acordo com Michelle, atletas de todo o mundo usam o ginseng siberiano para aumentar o desempenho, reforçar o sistema imunológico durante os treinos, e reduzir a fadiga e o estresse.

4. Espirulina
O povo asteca descobriu que a espirulina, uma alga unicelular que eles chamaram tecuitlatl, fazia bem para o corpo e logo a incorporaram à sua dieta. Ela é rica em proteínas, além de ser uma grande fonte de vitamina B12 (muitas vezes chamado de “vitamina da energia”), possui oito minerais e vitaminas, incluindo sete tipos de precursores de vitamina A, conhecidos como carotenóides. Ela também é repleta de clorofila, o pigmento verde que dá cor à alga e que possui propriedades de purificação do sangue. E, claro, aumenta os níveis de energia.

5. Centella asiatica
De acordo com Michelle, a centella (ou centelha) asiática é uma erva repleta de nutrientes e fitoquímicos. Como uma das primeiras plantas energéticas utilizadas pelos herbalistas, a centella asiática diminui a fadiga e a depressão, sem os efeitos nocivos da cafeína. Na verdade, ao contrário da cafeína, que pode mantê-lo acordado durante a noite, a centella asiática ajuda a melhorar o sono.


6. Ho shou wu
Também conhecida como fo-ti, a raiz desta videira nativa da China é um poderoso tonificante capaz de aumentar a energia e o vigor enquanto mantém o efeito calmante. Ela contém uma forma natural da lecitina, que ajuda a diminuir a pressão arterial. Em estudos de laboratório, a ho shou wu provou ser capaz de reduzir o colesterol no sangue e os triglicerídeos, além de prevenir o aumento dos níveis de colesterol.

7. Pimenta de caiena
Por fim, a especialista indica o uso da pimenta de caiena, que é eficiente para aumentar a energia e melhorar a circulação. De acordo com Michelle, o alimento também é eficaz para ajudar a evitar resfriados, sinusite e dor de garganta, bem como reduzir a dor e inflamação.
Agora que você já conhece outras formas naturais de manter a energia, é só aproveitar. Mas atenção! “Como todos os medicamentos fitoterápicos, é melhor consultar um profissional de saúde qualificado antes de iniciar o uso de qualquer erva ou suplementos nutricionais”, lembra Michelle.


Do site: EcoD.

O Mito das Proteínas e o Vegetarianismo






Matéria da Vegetarian Society 


A Sociedade Vegetariana do Reino Unido é a mais antiga organização vegetariana do mundo. É uma instituição educacional sem fins lucrativos que promovem a compreensão e o respeito pelos estilos de vida vegetariano.
Introdução

Muitas pessoas se preocupam que, ao pararem de comer carne ou peixe, podem sofrer alguma deficiência nutricional. Este não é o caso, já que todos os nutrientes necessários podem ser facilmente obtidos através de uma dieta vegetariana. Na realidade, pesquisas demonstram que em muitas maneiras a dieta vegetariana é mais saudável do que a típica dieta não-vegetariana.

Os nutrientes estão, de uma maneira geral, divididos em cinco classes: carboidratos, proteínas, gorduras (incluindo óleos), vitaminas e minerias. Também precisamos de fibras e água. Todos são igualmente importantes para nosso bem estar, apesar de que são necessários em quantidades variadas, de cerca de 250g de carboidratos por dia até menos de 2 microgramas de vitamina B12. Carboidratos, gorduras e proteínas são usualmente chamados de macronutrientes, e as vitaminas e minerais são chamados de micronutrientes.

A maioria dos alimentos contém uma mistura de nutrientes (existem algumas excessões, como sal ou açúcar), mas é conveniente classificá-los pelo principal nutriente que o alimento provém. É importante lembrar que tudo que comemos nos fornece uma gama de nutrientes essenciais.

A carne fornece proteínas, gordura, algumas vitaminas do complexo B e minerais (principalmente ferro, zinco, potássio e fósforo). Peixe, além do citado acima, provém vitaminas A, D, e E, e o mineral iodo. Todos esses nutrientes podem ser facilmente obtidos pelos vegetarianos através de outras fontes, como essa Folha de Informação mostra.

Proteína

Mulheres necessitam de aproximadamente 45g de proteína por dia (mais se estiver grávida, lactente ou muito ativa); homens necessitam de aproximadamente 55g (mais se muito ativos). Evidências sugerem que o excesso de proteínas contribui para o aparecimento de doenças degenerativas. Vegetarianos obtém proteína de:

· Nozes: avelãs, castanhas do Pará, amêndoas, castanha de caju, nozes, etc.

· Sementes: gergelim, abóbora, girassol, linho.

· Leguminosas: ervilhas, feijões, lentilhas, amendoim.

· Cereais: trigo (no pão, farinha, pasta, etc.), cevada, centeio, aveia, mileto, milho, arroz.

· Produtos a base de de soja: tofu, tempe, proteína texturizada vegetal, vegiburguers, leite de soja.

· Produtos derivados do leite: leite, queijo, iogurte (manteiga e creme de leite são fontes pobres de proteína)

· Ovos

Você deve ter ouvido falar que é necessário fazer um balanceamento de aminoácidos em uma dieta vegetariana. Isto não é tão alarmante como soa. Aminoácidos são as unidades que formam as proteínas. Ao todo existem 20 diferentes. Nós podemos sintetizar muitos deles em nosso corpo convertendo outros aminoácidos. Porém, oito aminoácidos não podem ser fabricados e devem ser ingeridos com a dieta. Por isso são chamados aminoácidos essenciais.

Alimentos vegetais não contém todos os aminoácidos essenciais na proporção certa que precisamos. Porém, quando misturamos alimentos, qualquer dificiência em um é cancelada pelo excesso em outro. Nós misturamos alimentos protéicos todo o tempo, sendo vegetarianos ou não. É uma atitude normal na maneira humana de se alimentar. Alguns poucos exemplos são feijões em torradas, granola, ou arroz com feijão. Adicionando produtos do leite ou ovos também contribui com os aminoácidos que faltam, como macarrão ao queijo, tortas, mingau.

Já se sabe que o corpo humano possui uma reserva de aminoácidos. Então, se uma refeição é deficiente, o corpo pode obter o aminoácido de sua própria reserva. Devido a isso, não precisamos nos preocupar sobre a complementação de aminoácidos todo o tempo, desde que nossa dieta em geral seja variada e balanceada. Até mesmo aqueles alimentos não considerados como fonte de proteínas contribuem para essa reserva.

Carboidratos

Os carboidratos são a nossa maior e mais importante fonte de energia, e a maioria é fornecida por alimentos vegetais. Existem três tipos principais: açúcares simples, carboidratos complexos ou amidos e fibras alimentares.

Os açúcares ou carboidratos simples podem ser encontrados nas frutas, leite e açúcar. É melhor evitar fontes de açúcar refinados, já que eles fornecem energia sem nenhuma fibra, vitaminas ou minerais associados e também são a maior causa de cáries dentais.

Os carboidratos complexos são encontrados em cereais/grãos (pão, arroz, pasta, aveia, cevada, mileto, centeio) e algumas raízes vegetais, como batatas e mandioca. Uma dieta saudável deve conter abundância desses alimentos amiláceos, já que são reconhecidos os benefícios á saúde de uma alta ingestão de carboidratos complexos. Os carboidratos não refinados, como pão integral e arroz integral são melhores porque contém as essenciais fibras alimentares e vitaminas do complexo B.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que 50-70% da energia deve ser proveniente de carboidratos complexos. A quantidade exata de carboidratos que cada indivíduo necessita depende do seu apetite e também do nível de atividade física. Ao contrário do que se acreditava anteriormente, uma dieta de emagrecimento não deve ser com baixo teor de carboidratos. Na verdade os alimentos amiláceos provém bastante saciedade em relação ao número de calorias que contém.

Fibras Alimentares

Fibras alimentares ou polissacarídeos não-amiláceos, como agora é chamado, refere-se a parte não digerível dos alimentos ricos em carboidratos. Fibras podem ser encontradas em cereais integrais ou não refinados, frutas (frescas e secas) e vegetais. Uma boa ingestão de fibras alimentares previne muitos problemas digestivos e protege contra doenças tais como câncer de colom e diverticulite.

Gorduras e Óleos

Muita gordura é prejudicial, porém um pouco é necessário para manter nossos tecidos em bom estado, para produzir hormônios e para transportar algumas vitaminas. Como as proteínas, as gorduras são feitas de unidades menores, chamados ácidos graxos. Dois desses ácidos graxos, ácido linolêico e linolênico, são chamados essenciais porque devem ser fornecidos pela dieta. Isto não é nenhum problema pois eles são extensamente encontrados em alimentos vegetais.

As gorduras podem ser tanto saturadas como insaturadas (mono-insaturada e poli-insaturada). Uma alta ingestão de gorduras saturadas pode levar a uma taxa elevada de colesterol sanguíneo e está ligado ás doenças coronárias. Gorduras vegetais tendem a ser mais insaturadas e este é um dos benefícios da dieta vegetariana. Gorduras mono-insaturadas, como o óleo de oliva ou amendoim, são melhores quando usadas para frituras, já que os gorduras poli-insaturadas, como girassol, são instáveis em altas temperaturas. Gordura animal (incluindo manteiga e queijo) tendem a ser mais saturadas que gorduras vegetais, com excessão do óleo de palma e de coco.

Vitaminas

Vitamina é o nome dado a muitos nutrientes não relacionados entre si que o corpo humano não pode sintetizar, totalmente ou em quantidades adequadas. A única coisa que elas tem em comum é a quantidade pequena necessária na dieta. As principais fontes vegetarianas estão listadas abaixo:

Vitamina A (ou beta-caroteno): Vegetais vermelhos, alaranjados ou amarelos, como cenouras e tomates, vegetais folhosos verdes e frutas como nectarinas e pêssegos. É adicionada na maioria das margarinas.

Vitaminas do Complexo B: Este grupo de vitaminas inclui a B1 (thiamina), B2 (riboflavina), B3 (niacina), B6 (pyridoxina), B12 (cianocobalamina), folato, ácido pantotênico e biotina.

Todas as vitaminas, com excessão da B12, occorrem em leveduras e cereais integrais (especialmente germe de trigo), nozes e sementes, raízes e vegetais verdes.

A vitamina B12 é a unica que pode causar alguma dificuldade, já que não está presente em alimentos vegetais. Apenas uma pequeníssima quantidade é necessária e os vegetarianos normalmente obtém essa vitamina dos produtos de leite e ovos. É sensato aos vegetarianos e vegans, que consomem pouco ou nenhum alimento de origem animal, a incorporação de alguns alimentos fortificados em vitamina B12 na dieta. Vitamina B12 é adicionada aos extratos de levedura, leite de soja, vegiburguers e alguns cereais matinais.

Vitamina C: Frutas frescas, saladas, todos os vegetais folhosos e batatas.

Vitamina D: Esta vitamina não é encontrada em alimentos vegetais, mas os humanos podem produzi-la quando a pele é exposta á luz do sol. Também é adicionada á muitas margarinas e está presente no leite, queijo e manteiga. Estas fontes são normalmente adequadas para adultos sadios. É sensato adicionar suplementos de Vitamina D na dieta de indivíduos muito jovens, muito idosos e qualquer indivíduo que viva em confinamento, especialmente se estes consomem poucos produtos derivados de leite.

Vitamina E: óleos vegetais, cereais integrais, ovos.

Vitamina K: vegetais frescos, cereais e síntese bacteriana no intestino.

Minerais

Os minerais executam uma série de atividades em nosso corpo. Detalhes de alguns dos mais importantes minerais estão listados abaixo:

Cálcio: Importante para ossos e dentes saudáveis. Encontrados em derivados do leite, vegetais verdes folhosos, pão, água da torneira em locais de água dura, nozes e sementes (especialmente gergelim), frutas secas, queijo. A Vitamina D ajuda na absorção do cálcio.

Ferro: Necessário para as células vermelhas do sangue. Encontrado em vegetais verdes folhosos, pão integral, melado, ovos, frutas secas (especialmente nectarinas e figos), lentilhas e raízes. O ferro de fontes vegetais não é facilmente absorvido como o de fonte animal, mas uma boa ingestão de Vitamina C aumenta a absorção.

Zinco: Tem importante papel em muitas reações enzimáticas e no sistema imunológico. Encontrado em vegetais verdes, queijo, gergelim e sementes de abóbora, lentilhas e cereais integrais.

Iodo: Presente em vegetais, mas a quantidade depende de quanto o solo é rico em iodo. Derivados do leite também tem bastante iodo. Vegetais marinhos são uma ótima fonte de iodo para vegans.

 Fonte: The Vegetarian Society.

 Tradução: Roberta Sá

~~~~~~~~~~~º~~~~~~~~~~~~

Pra complementar, segue abaixo matéria do site da Sociedade Vegetariana Brasileira.

Proteínas e vegetarianismo

O tema proteína em alimentos de origem animal ou vegetal gera muita confusão.

Esse é um dos grandes mitos sobre o vegetarianismo.

Proteínas são compostas por aminoácidos.

Vamos deixar bem claro: não existe nenhum aminoácido necessário ao organismo humano que não seja encontrado nos alimentos do reino vegetal.

Dizer que o a proteína vegetal é incompleta também é um erro.

Alguns grupos alimentares, como cereais (arroz) e leguminosas (feijões) apresentam o que chamamos de aminoácido limitante. É um aminoácido em quantidade um pouco menor do que os outros. No entanto, existem todos os aminoácidos essenciais em cada um desses grupos.

Grande parte da confusão provém da falta de conhecimento de alguns profissionais de saúde sobre conceitos básicos de nutrição, como: valor biológico, aminoácido limitante, NPU, qualidade da proteína (PDCAAS), proteínas complementares, digestibilidade…

Se o indivíduo atinge suas necessidades calóricas diárias com alimentos baseados em grãos, automaticamente a sua cota protéica com todos os aminoácidos essenciais é atingida.

Estudos populacionais mostram que a dieta vegetariana (inclusive a vegana) excede a necessidade de aminoácidos essenciais.

Para acabar com as dúvidas foi realizado um amplo estudo de revisão sobre o assunto (metanálise). Foi demonstrado que não há diferença na incorporação da proteína no corpo humano quando ela é proveniente do reino animal ou vegetal.

Existem marcadores sangüíneos que podem ser dosados para verificar o “estado protéico” da pessoa. A albumina sangüínea é um deles. Veganos têm níveis sangüíneos significativamente mais altos do que não vegetarianos, evidenciando um ótimo perfil de nutrição protéica.

Aos profissionais de saúde:

Ao calcular a oferta protéica de um vegetariano tenha certeza de que ele atinge o valor calórico total de calorias não protéicas.

Proponha variações dos grupos alimentares.

Alguns pesquisadores sugerem que devemos calcular a necessidade protéica de crianças veganas como sendo até 35% mais alta. Isso se deve à menor digestibilidade da proteína vegetal.
Confira as informações em:

Rand WM, Pellett PL, Young VR. Meta-analysis of nitrogen balance studies for estimating protein requirements in healthy adults. Am J Clin Nutr. 2003;77:109-127.

Position of the American Dietetic Association and Dietitians of Canada: Vegetarian diets. J Am Diet Assoc. 2003;103:748-765.(www.svb.org.br/artigos/artigos.htm).

*Dr. Eric Slywitch
Médico, coordenador do departamento científico da Sociedade Vegetariana Brasileira. Especialista em nutrologia (ABRAN) e nutrição enteral e parenteral (SBNPE). Pós-graduado em nutrição clínica (GANEP). Especialista em nutrição vegetariana.

Fonte: http://www.svb.org.br

S.O.S. deixar de comer carne


O homem e seus órgãos digestivos se assemelham aos dos antropóides (macacos, gorilas) que se alimentam exclusivamente de frutas e raízes. Seus dentes, glândulas salivares, estômago, intestinos e outros órgãos levaram os zoólogos a classificarem o homem como frutívoro. Essa declaração foi feita por cientístas de envergadura como Cuvier, Darwin, Huxley, Haeckel, Lamarck, Linneu, etc.

O instinto do homem repugna a matança de animais: a visão de animais mortos em certas condições, como assados num incêndio, esquartejados e mesmo a carne crua exposta lhe é repulsiva. Somente após disfarçar sua aparência e sabor através do fogo e dos condimentos é que consegue comer um pedaço de carne. Uma criança jamais saltará o muro do vizinho para comer um pedaço de carne, mas ao avistar uma fruta na árvore instintivamente irá buscá-la.

Assim o estudo do seu organismo (Biologia) e do seu instinto (Psicologia) provam que o homem deve se alimentar de vegetais.

A carne intoxíca e acidifíca o organismo. Por causa das substâncias venenosas que produz, como uréia, o àcido úrico e outras, o sangue torna-se ácido, os rins e fígado, enfraquecem-se com o excesso de trabalho de eliminação dos venenos do sangue. Diversas doenças, então, aparecem: arteriosclerose, reumatismo, enterite, gastrite, prisão de ventre, úlcera gástrica, eczema, apendicite, envelhecimento precoce.

Os animais carnívoros possuem uma glândula que segrega amônia e neutraliza os ácidos resultantes da digestão da carne, porém, nós não possuímos esta glândula.

A carne produz intensa putrefação intestinal e os intestinos do carnívoro contêm uma população microbiana de vários milhões a mais do que a do vegetariano.

Muitas pessoas consideram a carne um alimento necessário e indispensável, sem a qual é impossível uma saúde perfeita. Contudo, nos países pobres ou populosos do Oriente, como as Índias, a China, o Japão, Tailândia e outros, milhões de pessoas nunca provaram a carne, e se o fazem é em quantidades mínimas, porém, são fortes e resistentes e quando colocados junto aos ocidentais em trabalhos que exijam grandes esforços físicos, sua superioridade é notável.

Os animais carnívoros são fortes porém os herbívoros além da força muscular possuem a resistência. O elefante, o cavalo, o boi executam trabalhos que exigem muito esforço físico, como carregar pesos a longas distâncias. A força dos animais carnívoros esgotam-se rapidamente e não suportam uma atividade contínua.

As proteínas encontradas na carne são fornecidas, com vantagens, por diversos alimentos vegetais, grão de bico, ervilha, quinoa, soja, feijões, castanha do Pará, amendoim, castanha de caju, lentilhas, nózes, amêndoas. O leite e seus derivados fornecem mais proteínas do que a carne, e apesar de ser de origem animal, pode ser usado na dieta vegetariana.

Extensas áreas são desmatadas para serem transformadas em pastos, quando poderiam continuar a ser florestas virgens, tão necessárias ao equilíbrio ecológico do planeta, pois enquanto o vegetariano necessita de uma parte de terra para sua produção de alimentos vegetais, o carnívoro precisa dez vezes mais de espaço para a criação de animais.

Até aqui vimos a superioridade do vegetarianismo sob o ponto de vista da ciência de nutrição, porém como seres inteligentes, sensatos e amorosos, nós temos outras razões para adotar a dieta vegetariana.

O regime carnívoro excita as emoções inferiores. Os vegetarianos são mais pacíficos e calmos do que os carnívoros. O animais carnívoros (o tigre, o lobo, o falcão) são dotados dos piores sentimentos: crueldade, malícia, ingratidão, ao contrário dos herbívoros (cavalo, boi, ovelha) que podem ser domesticados, mostrando-se mansos e amorosos para seu criador.

 Os grandes avatares e místicos eram vegetarianos: Zoroastro, Platão, Pitágoras, Buda, Cristo, Apolônio de Tiana. Mais recentemente foram vegetarianos os seguintes místicos e homens de projeção: Leonardo da Vinci, Francisco de Assis, Newton, Voltaire, Lineu, Benjamin Franklin, Lamartine, Tolstoi, Fulton, Napoleão Bonaparte, Pasteur, Morse, Thomas Edison, Caruso, Bernard Shaw, Stalin, Gandhi, Albert Einstein, etc.

Albert Einstein, criador da teoria da relatividade, disse: “Sou, por princípio, fervoroso seguidor do vegetarianismo, acima de tudo por motivos morais e estéticos; acredito firmemente que já por seus efeitos físicos o sistema de vida vegetariano influirá de tal maneira sobre o temperamento do homem, que em muito melhorará o destino da humanidade”.

Galinhas são criadas em suas vida curta em gaiolas de 50 x 50 cm, bois também são criados em lugares apertados e não natural.

Os pintos, conforme são para corte ou para ovos, machos ou fêmeas, são eliminados por esmagamento por martelo, fogo, sufocados ou outros métodos desumanos.

A humanidade come uma montanha Everest de carne todo ano, e não compreêndem a natureza Kármica disto: doenças degenerativas, velhice precosse, agressividade, violência, intolerância e etc.

Embora esteja aumentando o número de vegetarianos, as máquinas de fritar frangos e as churrasqueiras de quintal também.

Via a experiência. EXPERIMENTE um prato de cereais, laticínios e vegetais!


 O que nos separa de uma vida melhor muitas vezes é a distãncia abissal que damos da pura especulação mental ao simples mas efetivo primeiro passo.


* * *


Citações Fortalecedoras 


Aquele que matou um boi é como aquele que matou um ser humano.

(Isaias, profeta bíblico)


Enquanto o homem continuar a ser destruidor impetuoso dos seres animados, dos seres inferiores, não encontrará a saúde nem a paz.
Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros.

(Pitágoras)


Chegará o tempo em que os homens olharão para os maus tratos aos animais com a mesma abominação com que hoje consideram o assassinato dos seres humanos.

(Leonardo da Vinci)


Nada beneficiará mais a saúde da humanidade e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto à dieta vegetariana.

(Albert Einstein)


Os animais são meus amigos … e eu não como meus amigos.

(George Bernard Shaw)


Eu não tenho dúvidas que é parte do destino da raça humana, na sua evolução gradual, parar de comer animais.
   
(Henry David Thoreau)


Se quisermos nos libertar do sofrimento, não devemos viver do sofrimento e da matança infligida a outros animais.

(Paul Carton)


O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. O animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue.

(Siddarta Gautama Buda)


Se eu tivesse outra vida, dedica-la-ia inteiramente à luta contra a vivisseção.

(Bismark)


Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhorem nem levem em consideração as condições dos animais.

(Abraham Lincoln)


Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais … os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento.

(Charles Darwin)


Não haverá justiça enquanto o homem empunhar uma faca ou uma arma e destruir aqueles que são mais fracos que ele.

(Isaac Singer)


Muito pouco da grande crueldade mostrada pelos homens pode ser atribuída realmente a um instinto cruel. A maior parte dela é resultado da falta de reflexão ou de hábitos herdados.

(Albert Schweitzer)


A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem.

(Arthur Schopenhauer)


Não creia que os animais sofrem menos do que os seres humanos. A dor é a mesma para eles e para nós. Talvez pior, pois eles não podem ajudar a si mesmos.

(Louis J. Camuti)


O que não concebo é degolar um cabrito, asfixiar uma pomba, cortar a nuca de uma galinha, ou dar punhaladas em um porco para que eu coma seus restos. Não é por uma questão de química biológica o motivo de eu ter me passado para as fileiras do ovo lacto vegetarianismo, mas pelo imperativo oral de que minha vida não seja mantida às custas da ida de outros seres.

(Eduardo Alfonso)


Os animais que você come não são aqueles que devoram outros, você não come as bestas carnívoras, você as toma como padrão. Você só sente fome pelas criaturas doces e gentis que não ferem ninguém, que o seguem, o servem, e que são devoradas por você como recompensa de seus serviços.

(Jean Jacques Rousseau)


Incêndios propositais e crueldade com animais são 2 ou 3 sinais na infância que sinalizam o potencial de um assassino serial.

John Douglas (analista do FBI que estuda o perfil de assassinos) 


A grandeza de uma nação e seu progresso moral podem ser julgados pela forma com que seus animais são tratados.

(Mahatma Gandhi)


Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis.

(Mahatma Gandhi)


Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos.

(Mahatma Gandhi)


Que horror é meter entranhas em entranhas, engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos.

(Pythagoras)


Enquanto o homem continuar a ser o destruidor dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor.

(Pythagoras)


Tempo virá em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente como hoje se julga o assassínio de um homem.

(Leonardo da Vinci)


Feliz seria a terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentassem de alimentos puros, sem derrame de sangue. Os dourados grãos que nascem para todos dariam para alimentar e dar fartura ao mundo.

(Siddarta Gautama – Buda)


Quanto mais o homem simplifica a sua alimentação e se afasta do regime carnívoro, mais sábia é a sua mente.

(George Bernard Shaw)


Eu não tenho dúvidas de que é parte do destino da raça humana, na sua evolução gradual, parar de comer animais.

(Henry David Thoreau)


É somente pelo amaciamento e disfarce da carne morta através do preparo culinário, que ela é tornada susceptível de mastigação ou digestão e que a visão de seus sucos sangrentos e horror puro não criam um desgosto e abominação intoleráveis.

(Percy Bysshe Shelley)


Quando me tornei vegetariano, poupei dois seres, o outro e eu.

(Hermógenes)


Se quisermos nos libertar do sofrimento, não devemos viver do sofrimento e do assassínio infligidos aos animais.

(Dr. Paul Carton)


Se o homem aspira sinceramente a viver uma vida real, sua primeira decisão deve ser abster-se de comer carne e não matar nenhum animal para comer.

(Leon Tolstoy)


O comer carne é a sobrevivência da maior brutalidade; a mudança para o vegetarianismo é a primeira conseqüência natural da iluminação.

(Leon Tolstoy)


Respeitem os animais. Eles sentem e sofrem como nós. Não os maltratem, não os torturem, não os prendam, não os matem.

(de autoria anônima)


Como zeladores do planeta, é nossa responsabilidade lidar com todas as espécies com carinho, amor e compaixão. As crueldades que os animais sofrem pelas mãos dos homens estão além de nossa compreensão. Por favor, ajudem a parar com esta loucura.

(Richard Gere)


Oh, tirem minha cabeça, mas rogo que parem a matança!

(Sadhu Vaswani)


Não haverá justiça enquanto o homem empunhar uma faca ou uma arma e destruir aqueles que são mais fracos que ele.

(Isaac Bashevis Singer)


Se os matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos. Nós nos sentimos melhores com nós mesmos e melhores com os animais, sabendo que não estamos contribuindo para o sofrimento deles.

(Paul e Linda McCartney)


Se você pudesse ver ou sentir o sofrimento, você certamente não pensaria duas vezes. Devolva a vida. Não coma carne.

(Kim Basinger)


O que não concebo é degolar um cabrito, asfixiar uma pomba, cortar a nuca de uma galinha ou dar punhaladas em um porco para que eu coma seus restos. Não é por uma questão de química biológica o motivo de eu me ter passado para as fileiras do ovo-lacto-vegetarianismo, mas pelo imperativo moral de que minha vida não seja mantida às custas da vida de outros seres.

(Dr. Eduardo Alfonso, médico naturista espanhol)


Que luta pela existência ou que terrível loucura vos levou a sujar vossas mãos com sangue – vós, repito, que sois nutridos por todas as benesses e confortos da vida? Por que ultrajais a face da boa terra, como se ela não fosse capaz de vos nutrir e satisfazer?

(Plutarco)


Os vapores das comidas com carne obscurecem o espírito. Dificilmente pode-se ter virtude se desfruta de comidas e festas em que haja carne. No paraíso terreno não havia vinho, nem sacrifício de animais e tampouco se comia carne.

(São Basílio)


Não destruas por causa da comida as obras de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo. Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.

(Romanos, 14: 20, 21)


Como rei, esforcei-me para impedir o dano a criaturas vivas e renunciei a ter grande número de caçadores e pescadores e às caçadas a que se entregam outros governantes.

(Rei Asoka)


Os vegetais constituem alimentação suficiente para o estômago e, no entanto, recheamo-lo de vidas valiosas.

(Sêneca)


A estrutura do homem, externa e interna, comparada com a de outros animais, mostra-nos que as frutas e os vegetais suculentos constituem sua alimentação natural.

(Lineu)


Não comer carne significa muito mais para mim que uma simples defesa do meu organismo; é um gesto simbólico da minha vontade de viver em harmonia com a natureza. O homem precisa de um novo tipo de relação com a natureza, uma relação que seja de integração em vez de domínio, uma relação de pertencer a ela em vez de possuí-la. Não comer carne simboliza respeito à vida universal.

(Pierre Weil)


Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influenciará o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da humanidade.

(Albert Einstein)


Não importa se os animais são incapazes ou não de pensar. O que importa é que são capazes de sofrer.

(Jeremy Bentham)


A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem.

(Arthur Schopenhauer)


Os animais dividem conosco o privilégio de ter uma alma.

(Pythagoras)


Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem. Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida.

(São Francisco de Assis)


Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seus semelhantes.

(Albert Schweitzer – Prêmio Nobel da Paz em 1952)


Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais (…) os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento.

(Charles Darwin)


A não-violência leva-nos aos mais altos conceitos de ética, o objetivo de toda evolução. Até pararmos de prejudicar todos os outros seres do planeta, nós continuaremos selvagens.

(Thomas Edison)


Para mim, não amar os pássaros e todos os animais seria não amar a Deus. Pois seus filhos são pássaros e animais tanto quanto os seres humanos.

(Sadhu Vaswani)


Os animais do mundo existem para seus próprios propósitos. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens.

(Alice Walker)


Minha doutrina é esta: se nós vemos coisas erradas ou crueldades, as quais temos o poder de evitar e nada fazemos, nós somos coniventes.

(Anna Sewell)








ONU recomenda dieta vegana




ONU recomenda dieta vegana para combater mudança climática


4304


Uma mudança global para uma dieta vegana é vital para salvar o mundo da fome, pobreza de combustíveis e os piores impactos da mudança climática, diz um novo relatório da ONU.

A previsão é de que a populção mundial chegue a 9.1 bilhões de pessoas em 2050 e o apeite por carne e laticínios é insustentável, diz o relatório do programa ambiental da ONU (UNEP).

A agricultura, particularmente produtos de carne e laticínios, é responsável pelo consumo de cerca de 70% da água doce do mundo, 38% do uso de terra e 19% das emissões de gases estufa, diz o relatório que foi lançado para coincidir com o dia do meio ambiente (05 de junho).

Diz o relatório: “Espera-se que os impactos da agricultura cresçam sustancialmente devido ao crescimento da população e o crescimento do consumo de produtos animais. Ao contrário dos combustíveis fósseis, é difícil produzir alternativas: as pessoas têm que comer. Uma redução substancial de impactos somente seria possível com uma mudança de dieta, eliminando produtos animais.”

O painel de especialistas categorizou produtos, recursos e atividades econômicas e de transporte de acordo com seus impactos ambientais. A agricultura se equiparou com o consumo de combustível fóssil porque ambos crescem rapidamente com mais crescimento econômico, eles disseram.

Professor Edgar Hertwich, o principal autor do relatório, disse: “Produtos animais causam mais dano que produzir minerais de construção como areia e cimento, plásticos e metais. Biomassa e plantações para animais causam tanto dano quanto queimar combustíveis fóssil.”

Ernst von Weizsaecker, um dos cientistas que lideraram o painel, disse: “Crescente afluência está levando a um maior consumo de carne e laticínios – os rebanhos agora consomem boa parte das colheitas do mundo e, por inferência, uma grande quantidade de água doce, fertilizantes e pesticidas.”

Fonte: Guardian

Consciência leve?

vídeos indigestos!




Brunoº°: pessoal não é bem do meu feitío expor cenas fortes e chocantes (bom, pelo menos pra mim), mas imagino o quanto deva ser importante para o reconhecimento das atitudes pouco pensadas ou de pessoas que desconheçam a natureza desses fatos e apenas degustam seu delioso presunto, o churrasquinho, ou seu franguinho empanado sem ter se dado à menor reflexão do quanto está compactuando com a viôlencia de tirar a vida de outros seres de forma brutal.

“Uma injustiça continua sendo uma injustiça. Mesmo que todo mundo a cometa.”
Dr.Claude Pasquini

“Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações em seu próprio interior. Tudo o que fazemos produz efeito, causa algum impacto.”
Dalai Lama

Atenção!

Aqueles que são sensíveis a visão do “inferno”, evite o vídeo!