Arquivo da categoria: Hare Krishna

Festival de Goura Purnima



Dia que se inicia o Ano Novo no calendário Vaishnava e se comemora o aparecimento transcendental do “Avatar Dourado” – Sri Chaitanya Mahaprabhu.
O Festival anual une pessoas para celebrar e cantar os Santos Nomes de Deus como um meio de glorificar e se reconectar com o Absoluto através de Seus Nomes – a vibração transcendental (mantras)
Venha festejar conosco!
Local:
Templo Hare Krishna – Iskcon-RJ
Estrada da Barra da Tijuca, 2010.
Itanhangá – RJ
(21)3563-1627

Krishna e Círculos de plantações

 Símbolos de Krishna em Círculos de plantações: Será que isso significa a vinda de um “Chakravartin”?

Por Dev Bibhu Misra em 18 março de 2011
 

Image: cropcircleship.com
O Barbury Formação Castelo, 1991, retratando os quatro atributos de Krishna – Lotus, Disco, Concha e Maça.
Crop Circles são um enigma moderno. Estas formações intrincadas e gigantescas, aparecendo quase de noite, têm nos confundido e fascinado na duas últimas décadas. Uma série de anomalias científicas tem sido observado nas amostras de planta e de solo coletadas no local dos círculos, que não parecem estar de acordo com qualquer explicação racional. Recentemente, o estudo Laurence Rockefeller, conduzido por Research BLT, concluiu que “é possível estarmos observando os efeitos de uma nova fonte de energia ou ainda por descobrir.” Claramente, algum fenômeno inexplicável que está acontecendo na nossa vizinhança cósmica. Não sabemos como esses círculos estão sendo criados ou por quem. Mas, ele aparece como se alguma força desconhecida estivesse utilizando um conhecimento científico extraterrestre , e nos enviem algumas mensagens importantes através destas formações complexas, que retratam vários símbolos sagrados das tradições de sabedoria antiga.
Uma das primeiras formações de círculo foi a formação Castelo Barbury de 1991. Desde que esta formação requintada apareceu perto Barbury, Inglaterra, uma infinidade de interpretações científicas, matemáticas e místicas têm sido propostas por vários pesquisadores para explicar seu significado simbólico. No entanto, não há dúvida em minha mente que esta formação extraordinária é um composto, represenção bidimensional dos quatro atributos do Senhor Krishna, o Senhor Supremo do Universo, que é sinônimo de  Deus Criador Vishnu. Estes quatro atributos que foram descritos nesta formação, e que são sempre associados a Vishnu e Krishna são: a flôr de Lotus, o disco de seis raios  conhecido como o Sudarshana Chakra, a Maça e a Concha.
No centro da formação Castelo Barbury há círculo central, delimitada por um par de círculos concêntricos. Em tradições antigas, o “círculo com um ponto no centro” sempre representou a “consciência divina no centro do cosmos”. No hinduísmo e do budismo, os círculos concêntricos também denotam a resplandecente Flôr de Lotus, que floresceu no meio do Oceano Primordial no início da época, que contém em si o Grande Espírito. Este entendimento é refletido no mantra budista “Om Mani Padme Hum”. É evidente, portanto, que a parte central desta formação reflete o Supremo Deus Krishna, e seu atributo, a flor de lótus.
Os círculos concêntricos são colocados dentro de um “triângulo equilátero”, que, mais uma vez, é um antigo símbolo do “Trinity”. No canto inferior esquerdo da formação, podemos ver uma forma espiral, que tem sido identificado como o famoso” seqüência de Fibonacci “(uma seqüência de números: 1, 1, 2, 3, 5, 8 etc, onde cada número é a soma dos últimos dois números). Foi demonstrado cientificamente que a seção transversal de um traços concha para fora uma seqüência de Fibonacci exata (“Estrutura de Fibonacci em Concha Shell”, da Ciência atual, Fevereiro de 2005). Além disso, uma concha tem ‘bandas espiral” ao longo de seu corpo, um corte transversal da casca irá resultar na formação de “catracas” distintas sobre a espiral de Fibonacci, exatamente como observado na formação do círculo da colheita. Portanto, este símbolo é, definitivamente, uma representação da Concha de Krishna.
No canto inferior direito da formação, encontramos um “círculo de seis raios”, que é sem dúvida o Sudarshana Chakra de seis raios, o disco famoso exercido por Krishna, e no topo da formação, encontramos um Círculo “com uma vara ligando-a, que pode ser reconhecida como a seção transversal da Maça, o outro atributo associado à Krishna. Incrivelmente, cada um desses símbolos individuais estão interligados por linhas retas, formando assim uma representação bidimensional extraordinária de Krishna, juntamente com seus quatro atributos.
Este não é o único exemplo, entretanto, onde os vários atributos de Krishna têm aparecido em formações de círculo de colheita. Tem havido várias instâncias onde a Concha-shell ou sua seção transversal, a seis raios Chakra Sudarshana ou seis pétalas da flor de Lotus, têm aparecido nas formações. A formação Barbury Castelo é, no entanto, a única instância onde todos os quatro atributos de Krishna foram descritos em uma forma unificada.
Uma figura de culturas círculo representa uma secção transversal de um búzio (Pewsey, 2002), outro um búzio-shell (West Woods, 2007), uma terceira é uma flor de seis pétalas (West Stowell, Julho de 2000), e um quarto é uma estrela de seis pontas (Alton Barnes, Junho de 2003). O que poderia ser o significado por trás destas formações?
Cada um dos quatro atributos de Krishna tem um significado simbólico associado a ele. O irresistível “Chakra Sudarshana” é a arma empunhada por Krishna e significa a destruição do próprio ego, queimando a ignorância espiritual e a ilusão, e desenvolver a visão para perceber Deus. Da “concha”, realizado pelo Krishna, emana o som primordial do “OM” criação, que permeia todo o cosmos. A vibração do “OM” é uma representação do Deus Supremo, o som original que contém todos os outros sons, todas as palavras e todos os idiomas. É considerado o supremo objeto de meditação e é proferida antes de todos os mantras védicos. A “Maça” de  Krishna denota poder para destruir as tendências materialistas ou demoníacas dentro dos seres. E a flôr de Lótus é simbolo da criação divina, a formação do universo e do eterno. A Lotus é também um emblema de divina perfeição, pureza e iluminação. Deuses védicos e sábios sempre exortaram seus devotos de ser como o Lotus, assim como a flor de Lótus em um lugar aquoso e pantanoso, ainda assim permanece inalterada pela sujeira e pela lama, da mesma forma deve-se ser neste mundo, e ainda assim  permanecer intocados pela contaminção material. No Bhagavad Gita, Krishna diz a Arjuna que “aqueles que se rendem ao Brahman todos os anexos são egoístas como a folha de lótus flutuando limpo e seco em água. O pecado não pode tocá-los. “
Claramente, essas mensagens são importantes para os nossos tempos. Parece que os criadores dos círculos de colheita exorta-nos a absorver a sabedoria codificada dentro destes símbolos, e atingir a iluminação espiritual e pureza. Gostaria de saber se o significado simbólico da formação Castelo Barbury é mais do que apenas a soma de suas partes individuais. Tal representação poderia também conter um significado mais profundo?
Eu refleti sobre as mudanças de consciência global que deve ter sido prevista pelos Maias e atualmente por vários espiritualistas e líderes religiosos em torno do ano de 2012. Apesar de toda a excitação em torno desta data, existe apenas um pedaço de inscrição que faz uma previsão específica para 21 de dezembro de 2012. É um texto hieroglífico encontrados no Monumento 6, no local de Tortuguero, estado mexicano de Chiapas. Afirma, muito misteriosamente, que em 21 de dezembro de 2012 “, um evento (desconhecido) deve ocorrer e Bolon Yokte K’u descerá em um lugar (desconhecido)”. Bolon Yokte K’u foi identificado pela Mayanists como o ‘Nine pé da árvore de Deus, o que indica que ele é uma representação da Árvore da Vida ou a Montanha Cósmica, o eixo central do nosso mundo. Isto parece indicar que uma divindade muito poderoso foi profetizado a encarnar no planeta Terra em torno de 2012 anos. Naturalmente, o ano exato e data para este evento profetizado está sob questão, uma vez que é muito difícil de mapear as datas do calendário maia para o calendário gregoriano. No entanto, existe um acordo geral entre os estudiosos maia que esta data refere-se a algum ponto no futuro próximo.
Existe uma crença prevalente que afirma que a luz da sabedoria virá do leste. Capítulo 3 do texto Zoroastran Zand-i Vohuman Yasht contém profecias muito longa sobre os dias finais desta era, e ele diz que, “no sentido de Chinistan, diz-se – alguns dizem que entre os hindus – nasce um príncipe , é seu pai, um príncipe da raça Kayanian, aproxima-se da mulher, e um príncipe religiosa nasce para ele, ele chama seu nome Warharan o Varjavand, alguns disseram Shahpur. Que um sinal pode vir para a terra, a noite, quando o príncipe nascer, uma estrela cai do céu, quando o príncipe nascer a estrela mostrará um sinal “. Outras profecias se referem ao nascimento da “Grande Serpente”, no leste, que vai trazer a luz da sabedoria para as diferentes nações. Quando e onde este “messias” ou “profeta” deve nascer é incerto. The Great American psíquico, Edgar Cayce, resume bastante bem quando diz em Reading 3976-15, que o dia da chegada do Senhor será dado a conhecer às pessoas através de interceptação espiritual nas mentes das pessoas.
Todos esses prognósticos sobre o nascimento iminente de um “messias” me fez pensar se a formação de Castelo sBarbury pode estar indicando uma posibilidade similar. Diz-se que antes do nascimento de Buda, o grande tribunal vidente Asita tinham observado vários símbolos auspiciosos e configurações astrológicas e concluiu que o novo príncipe vai ser um ‘chakravartin’ ou um líder espiritual esclarecida. O chakravartin palavra originou de “chakra” do sânscrito e significa “roda”, e “vartin ‘,’ aquele que transforma ‘significado. Assim, um chakravartin pode ser entendida como um governante “, cuja carruagem rodas rolar em todos os lugares ‘, ou’ cujos movimentos são desobstruídas. Ele é um imperador do mundo, um monarca universal, que governa em virtude de sua sabedoria, compaixão e justiça. Acredita-se que o nascimento de um chakravartin anuncia o início de sete riqueza ou abundância que surgem no campo, uma riqueza de fé, a moralidade, a honestidade, a modéstia, o aprendizado da renúncia, e sabedoria. O termo refere-se chakravartin particularmente para as encarnações de Vishnu que aparecem para restaurar dharma e justiça na terra. O chakravartin mais famoso no hinduísmo é a incaranation de Vishnu como o monarca universal Rama na Treta Yuga, por volta de 7000 aC Outras religiões seus equivalentes próprios da chakravartin.
Como se constata, o prognóstico Asita sobre Buda também foi correto para Buda foi tanto um líder espiritual esclarecida, bem como um chakravartin. Pelo poder de sua sabedoria e ensinamentos, ele tinha conquistado o mundo e re-estabelecido a justiça no momento em que a humanidade estava lutando com o período mais negro da Kali Yuga. É possível, portanto, que os círculos da colheita, que são essencialmente circular em forma, e, assim, se assemelhar a um chakra ou uma roda, estão anunciando o nascimento de outra chakravartin – o salvador cuja vinda é amplamente esperado pelas pessoas em todo o mundo? O símbolo da chakravartin sempre foi um chakra ou uma roda, é amplamente acreditavam que o corpo do chakravartin, bem como as palmas das mãos e solas marcados com o símbolo discus auspicioso, indicando a sua divindade. O texto budista Kalachakra Tantra-proclama que, “O Chakravartin sairão no final da idade, da cidade dos deuses no Monte Kailasa fashioned.
Ferirá os bárbaros na batalha com seus próprios quatro divisão do exército, em toda a superfície da terra. “Talvez a formação Castelo Barbury está nos dizendo
que um aspecto de Krishna em breve descerá sobre a terra, a fim de orientar a humanidade para o caminho do dharma, e nos preparar espiritualmente para a nossa evolução para uma nova era de iluminação?
Que é um resultado que todas as pessoas espiritualmente inteligentes devem esperar.
Sobre o autor: Bibhu Dev Misra é uma pós-graduação do Instituto Indiano de Tecnologia e pelo Instituto Indiano de Administração e tem trabalhado como consultor de TI há mais de 12 anos. Ele tem profundo interesse em civilizações antigas, mitos, tradições, símbolos, religião e espiritualidade e viajou para muitos lugares de importância religiosa, arquitectónico e histórico.

 

Krishna: História ou Mito (doc)

Um documentário único que prova a existência de Krishna e mostra a prova científica do Mahabharata com o ano exato da guerra de Kuruksetra.
Assista

Crime: Por que Existe e o que Fazer?

Por Sua Divina Graça A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada


Todos os anos, o mundo gasta cada vez mais recursos em prevenção contra o crime e no controle do mesmo. Contudo, apesar de tais esforços, as taxas de criminalidade continuam crescendo. Nas escolas públicas, crimes associados a tráfico de drogas e brigas entre gangues chegaram a níveis incontroláveis. Em diálogo realizado em julho de 1975 com o então relações públicas do departamento policial de Chicago, o tenente David Mozee, Srila Prabhupada propõe uma solução espantosamente simples e, ao mesmo tempo, prática para o problema aparentemente insuperável da criminalidade.

Tenente Mozee:
Tomei conhecimento de que o senhor tem algumas ideias que poderiam nos ajudar em nossos esforços para impedir a criminalidade. Estou muito interessado em ouvi-las.

Srila Prabhupada:
A diferença entre um homem piedoso e um criminoso é que um é puro de coração e o outro é impuro. Esta impureza é como uma doença sob a forma de luxúria e cobiça incontroláveis no coração do criminoso. Atualmente, as pessoas em geral estão nesta condição mórbida, e, por conseguinte, o crime está se propagando imensamente. Quando as pessoas se purificarem dessas impurezas, o crime desaparecerá. O processo mais simples de purificação é reunir-se em congregação e cantar os santos nomes de Deus. Isto se chama sankirtana, e é a base de nosso movimento da consciência de Krsna. Então, se o senhor quer parar o crime, o senhor deve reunir o maior número de pessoas possível para um sankirtana em massa. Este canto congregacional do santo nome de Deus dissipará todas as coisas impuras no coração de todos. Então, não haverá mais crime.

Tenente Mozee:
O senhor acha que o crime aqui nos Estados Unidos é de alguma forma diferente do crime em seu próprio país, a Índia?

Srila Prabhupada:
Qual é a sua definição de crime?

Tenente Mozee:
Qualquer usurpação dos direitos de uma pessoa por parte de outra pessoa.

Srila Prabhupada:
Sim. Nossa definição é a mesma. Nos Upanisads, afirma-se, isavasyam idam sarvam: “Tudo pertence a Deus”. Portanto, todos têm o direito de utilizar tudo o que lhes seja adjudicado por Deus, mas não se deve usurpar a propriedade alheia. Se alguém o faz, torna-se um criminoso. Na verdade, o primeiro crime é que vocês, americanos, estão pensando que esta terra da América é de vocês. Embora, há duzentos anos, ela não fosse de vocês, vocês vieram de outras partes do mundo e declararam que esta terra era de vocês. Na realidade, esta terra é de Deus, e, destarte, pertence a todos, visto que todos são filhos de Deus. Porém, a maioria das pessoas não tem conceito de Deus. Praticamente falando, todos são ateus. Portanto, eles devem ser educados no amor a Deus. Na América, o seu governo tem um lema: “Em Deus nós confiamos”. Não é assim?

Tenente Mozee:
Sim.

Srila Prabhupada:
Contudo, onde está a educação sobre Deus? Confiar é ótimo, mas a simples confiança não vai perdurar a menos que seja baseada em conhecimento científico de Deus. Pode ser que alguém saiba que tem um pai, mas, a menos que ele saiba quem é seu pai, seu conhecimento é imperfeito. E essa educação na ciência de Deus está faltando.

Tenente Mozee:
O senhor acha que ela está faltando apenas aqui nos Estados Unidos?

Srila Prabhupada:
Não. Em toda parte. A era em que vivemos chama-se Kali-yuga, a era do esquecimento de Deus. É uma era de desentendimentos e desavenças, e os corações das pessoas estão cheios de coisas impuras. Deus, no entanto, é tão poderoso que, se cantamos Seu santo nome, purificamo-nos, assim como meus discípulos purificaram-se de seus maus hábitos. Nosso movimento baseia-se neste princípio de cantar o santo nome de Deus. Damos a oportunidade a todos, sem nenhuma distinção. Todos podem vir a nosso templo, cantar o mantra Hare Krsna, comer um pouco de prasada para revigorar-se, e purificar-se gradualmente. Assim, se as autoridades governamentais nos derem algumas facilidades, poderemos, então, promover sankirtana em massa. Então, sem dúvida alguma, toda a sociedade mudará.

Tenente Mozee:
Se o entendo corretamente, o senhor está dizendo que devemos enfatizar um retorno aos princípios religiosos.

Srila Prabhupada:
Certamente. Sem princípios religiosos, qual é a diferença entre um cachorro e um homem? O homem pode compreender religião, mas o cachorro não. Esta é a diferença. Então, se a sociedade humana permanece ao nível de cães e gatos, como o senhor pode esperar uma sociedade pacífica? Se o senhor pegar uma dúzia de cachorros e colocá-los juntos em um cômodo, será possível mantê-los pacíficos? Semelhantemente, se a sociedade humana está cheia de homens cuja mentalidade está ao nível da mentalidade dos cães, como o senhor pode esperar paz?

Tenente Mozee:
Se algumas de minhas perguntas parecem desrespeitosas, isto é apenas porque não compreendo perfeitamente suas crenças religiosas. Não tenho a menor intenção de desrespeitá-lo.

Srila Prabhupada:
Não, não se trata de minhas crenças religiosas. Estou simplesmente chamando a atenção para a distinção entre a vida humana e a vida animal. Os animais não podem em hipótese alguma aprender algo sobre Deus, mas os seres humanos podem-no. Entretanto, se os seres humanos não têm oportunidade de aprender sobre Deus, eles permanecem ao nível de cães e gatos. Não pode haver paz em uma sociedade de cães e gatos. Portanto, é dever das autoridades governamentais cuidar para que as pessoas aprendam como tornar-se conscientes de Deus. Caso contrário, haverá problemas, porque, sem consciência de Deus, não há diferença entre um cão e um homem: o cão come, nós também; o cão dorme, nós dormimos; o cão faz sexo, nós fazemos sexo; o cão tenta defender-se, e nós também tentamos nos defender. Esses são os fatores comuns. A única diferença é que o cão não pode ser instruído sobre sua relação com Deus, ao passo que o homem pode.

Tenente Mozee:
A paz não seria um precursor de um retorno à religião? Não precisaríamos primeiramente ter paz?

Srila Prabhupada:
Não, não, essa é a dificuldade. No momento atual, ninguém conhece realmente o significado de religião. Religião significa obedecer às leis de Deus, assim como boa cidadania significa obedecer às leis do governo. Porque ninguém tem compreensão alguma de Deus, ninguém conhece as leis de Deus ou o significado de religião. Esta é a situação atual das pessoas na sociedade atual. Elas estão desconhecendo a religião, considerando-a um tipo de fé. Fé pode ser fé cega. Fé não é a verdadeira descrição de religião. Religião significa as leis dadas por Deus, e qualquer um que siga essas leis é religioso, quer seja cristão, hindu ou muçulmano.

Tenente Mozee:
Com todo o devido respeito, não é verdade que na Índia, onde os costumes religiosos são seguidos há séculos e séculos, estamos presenciando, não um retorno, mas um afastamento da vida espiritual?

Srila Prabhupada:
Sim, mas isto é devido apenas à má liderança. Por outro lado, a maioria do povo indiano é plenamente consciente de Deus, e eles tentam seguir as leis de Deus. Aqui no Ocidente, mesmo eminentes professores universitários não creem em Deus ou em vida após a morte. Na Índia, entretanto, mesmo o homem mais pobre crê em Deus e em uma próxima vida. Ele sabe que, se cometer pecado, sofrerá, e, se agir piedosamente, desfrutará. Mesmo atualmente, se há um desacordo entre dois moradores de uma vila, eles vão ao templo para resolvê-lo, porque todos sabem que os adversários hesitarão falar mentiras perante as Deidades. Assim, sob muitos aspectos, a Índia ainda é oitenta por cento religiosa. Esse é o privilégio especial de nascer na Índia, e a responsabilidade especial também. Sri Caitanya Mahaprabhu diz:
bharata-bhumite haila manusya-janma yara
janma sarthaka kari’ kara para-upakara
(Caitanya-caritamrta, Adi 9.41)
Qualquer um que tenha nascido na Índia deve tornar sua vida perfeita tornando-se consciente de Krsna. Ele, em seguida, deve distribuir a consciência de Krsna ao mundo inteiro.

Tenente Mozee:
Senhor, há uma parábola cristã que diz ser mais fácil um camelo passar pelo orifício de uma agulha do que um rico chegar perante o trono de Deus. O senhor acha que a riqueza dos Estados Unidos e de outros países ocidentais é um obstáculo para a fé espiritual?

Srila Prabhupada:
Sim. Riqueza em excesso é um obstáculo. Krsna afirma no Bhagavad-gita (2.44):
bhogaisvarya-prasaktanam
tayapahrta-cetasam
vyavasayatmika buddhih
samadhau na vidhiyate
Se alguém é materialmente muito opulento, ele se esquece de Deus. Portanto, riqueza material em excesso é uma desqualificação para se compreender Deus. Embora não haja leis absolutas de que somente o pobre pode compreender Deus; de um modo geral, se alguém é extraordinariamente rico, sua única ambição é adquirir dinheiro, e é difícil para ele entender ensinamentos espirituais.

Tenente Mozee:
Na América, aqueles que pertencem à fé cristã também creem nessas coisas. Não vejo grandes diferenças entre as crenças espirituais de um grupo religioso e as de outro.

Srila Prabhupada:
Sim, a essência de toda religião é a mesma. Nossa proposta é que qualquer que seja o sistema religioso seguido, deve-se tentar compreender Deus e amá-lO. Se o senhor é cristão, não dizemos: “Isso não é bom; o senhor tem que ser como nós”. Nossa proposta é: quem quer que o senhor seja – cristão, muçulmano ou hindu –, simplesmente tente compreender Deus e amá-lO.

Tenente Mozee:
Se eu pudesse voltar ao objetivo original de minha vinda, eu perguntaria que conselho o senhor poderia dar para nos ajudar a reduzir a criminalidade. Reconheço que o primeiro e mais importante método seria um retorno a Deus, como o senhor diz – e quanto a isso não há dúvida –, mas há algo que pudéssemos fazer imediatamente para diminuir esta crescente mentalidade criminosa?

Srila Prabhupada:
Sim. Como já delineei no começo de nossa conversa, o senhor deve dar-nos a oportunidade de cantar o santo nome de Deus e distribuir prasada. Haverá, então, uma tremenda mudança na população. Eu vim sozinho da Índia e agora tenho muitos seguidores. O que eu fiz? Eu lhes pedia que se sentassem e cantassem o mantra Hare Krsna, e, depois disso, distribuía um pouco de prasada para eles. Se isso for feito em massa, toda a sociedade se tornará bem comportada. Isto é fato.

Tenente Mozee:
O senhor gostaria de começar o programa em uma área de afluência ou em uma área de pobreza?

Srila Prabhupada:
Não fazemos tais distinções. Qualquer local facilmente acessível a todos os tipos de homens seria bastante adequado para fazermos sankirtana. Não há distinção de que apenas os pobres necessitam do benefício, e os ricos não. Todos precisam ser purificados. O senhor acha que a criminalidade existe apenas na seção mais pobre da sociedade?

Tenente Mozee:
Não. O que eu quis perguntar foi se haveria uma influência mais benéfica – um fortalecimento maior para a comunidade – se o programa fosse feito em uma área mais pobre em vez de em área abastada.

Srila Prabhupada:
Nosso tratamento é para a pessoa espiritualmente doente. Quando uma pessoa é afligida por uma doença, não há distinções entre o pobre e o rico. Ambos são admitidos no mesmo hospital. Assim como o hospital deve ser um local aonde tanto pobres quanto ricos possam chegar facilmente, a localização da realização do sankirtana deve ser facilmente acessível a todos. Uma vez que todos estão materialmente infectados, todos devem ter o direito de ser socorridos.
A dificuldade é que o rico pensa ser perfeitamente saudável, apesar de ser o mais doente de todos. Porém, sendo policial, o senhor sabe muito bem que há criminalidade tanto entre ricos quanto entre pobres. Destarte, nosso processo de cantar é para todos, porque esse processo purifica o coração, sem olhar a opulência ou a pobreza do homem. A única maneira de mudar permanentemente o hábito criminoso é mudar o coração do criminoso. Como o senhor sabe muito bem, muitos ladrões são detidos inúmeras vezes e postos na prisão. Embora eles saibam que se roubarem irão para a cadeia, ainda assim são impelidos a roubar por causa de seus corações impuros. Portanto, sem purificar o coração do criminoso, vocês não podem acabar com o crime simplesmente através de coação legal mais estrita. O ladrão e o assassino já conhecem a lei, mas continuam cometendo crimes violentos devido a seus corações impuros. Assim, nosso processo consiste em purificar o coração. Então, todos os problemas deste mundo material serão resolvidos.

Tenente Mozee:
Essa é uma tarefa muito difícil, senhor.

Srila Prabhupada:
Não é difícil. Simplesmente convide a todos: “Venham, cantem Hare Krsna, dancem e aceitem deliciosa prasada”. Qual é a dificuldade? Estamos fazendo isso em nossos centros, e as pessoas estão vindo. Entretanto, porque temos pouco dinheiro, só podemos fazer sankirtana em pequena escala. Convidamos todos, e gradualmente as pessoas estão vindo a nossos centros e se tornando devotos. Se o governo nos desse uma facilidade maior, entretanto, poderíamos nos expandir ilimitadamente. E o problema é grande, pois, se não o fosse, por que haveria artigos na imprensa nacional perguntando o que fazer? É fato que nenhum estado civil quer esta criminalidade, mas os líderes não sabem como acabar com ela. Se eles nos ouvissem, no entanto, poderíamos dar-lhes a resposta. Por que o crime? Porque as pessoas são ateístas. E o que fazer? Cantar Hare Krsna e comer prasada. Se o senhor quiser, pode adotar este processo de sankirtana. Caso contrário, nós continuaremos promovendo-o em pequena escala. Somos assim como um médico pobre com um pouco de prática que poderia abrir um grande hospital se lhe dessem a oportunidade. O governo é o executivo. Se eles aceitarem nosso conselho e adotarem o processo de sankirtana, então o problema do crime será resolvido.

Tenente Mozee:
Há muitas organizações cristãs nos Estados Unidos que dão a sagrada comunhão. Por que isso não funciona? Por que isso não está purificando o coração?

Srila Prabhupada:
Falando francamente, eu acho difícil encontrar uma única pessoa que seja realmente cristã. Os assim chamados cristãos não obedecem à ordem da Bíblia. Um dos dez mandamentos na Bíblia é: “Não matarás”, mas onde está o cristão que não mata ao comer a carne da vaca? O processo de cantar o santo nome do Senhor e distribuir prasada será eficiente se for executado por pessoas que estejam realmente praticando a religião. Meus discípulos são treinados para seguir estritamente os princípios religiosos; por conseguinte, quando cantam o santo nome de Deus, é diferente de quando outros cantam. A posição deles não é apenas uma posição de rótulo. Eles compreenderam o poder purificador do santo nome através da prática.

Tenente Mozee:
Senhor, acaso a dificuldade não seria que, embora um pequeno círculo de sacerdotes e devotos siga os princípios religiosos, aqueles que são marginais se desviam e causam problemas? Por exemplo, suponhamos que o movimento Hare Krsna cresça em proporções gigantescas, como aconteceu com o cristianismo. O senhor não teria problemas com os indivíduos marginalizados do movimento, os quais professassem ser seguidores embora não o fossem verdadeiramente?

Srila Prabhupada:
Essa possibilidade sempre existirá, mas o que estou dizendo é que, se o senhor não for um cristão verdadeiro, então sua pregação não será eficiente. Ao passo que, por estarmos seguindo estritamente os princípios religiosos, nossa pregação é eficaz na propagação da consciência de Deus e na mitigação do problema do crime.

Tenente Mozee:
Senhor, deixe-me agradecer-lhe por ter gasto seu tempo comigo. Apresentarei esta gravação a meus superiores. Espero que isso seja eficaz, assim como o senhor é eficaz.

Srila Prabhupada:
Muito obrigado.
Revisão de Karunika devi dasi e Bhagavan dasa

Conheça um pouco a consciência de Krishna

Pequeno documentário, feito por alguns estudantes, ao conhecerem um pouco sobre esta maravilhosa filosofia milenar.

Aulas de Maharajas Purushatraya e Chandramukha Swami

Dispensam comentários, por favor apenas assistam.
Assista! (pt. 1)

Assista! (pt. 2)